Sobre o Livro 

Sigo o Mapa que o Meu Coração me Dá

Muito se fala em “seguir o coração”, mas nunca nos ensinaram “como”. Não aprendemos no meio do raciocínio lógico a matemática dos passos, uns atrás dos outros que vamos dando nesta vida à procura dos lugares onde somos felizes. Muito nos ensinam acerca de “estudar para ter boas notas”, “conseguir um emprego que pague bem”, “casar e ter filhos” e “gozar a reforma” se a saúde deixar. Por isso muita gente se encontra a fazer “tilt”. Termina vínculos contratuais e vai à procura de algo que deixou pelo caminho e não sabe o quê. À procura desse encontro consigo mesmo, sem saber sequer por onde começar.

Eu comecei a viajar. A seguir por ai sem destino. Sem pensar muito nos “conselhos” que me davam, e a ouvir aquela voz baixinha do coração que me ia encaminhando pelos lugares que me mostraram quem sou. Fui aprendendo a gerar silêncio para conseguir ouvi melhor, e cada vez que seguia esse doces comandos, surpresas e avanços me levavam ainda mais dentro. Foi nesse aprender a ouvir e a ler o mapa que o coração me foi dando, que fui descobrindo o que a vida tem para me dar. Fui confiando tanto que agora quem cuida de mim é a minha própria vida. Eu só tenho que ir olhando para o mapa e seguindo. Sabendo que lá na frente, quando chegar ao lugar de destino, saberei porque o meu coração me fez dar aquela volta ou me encaminhou directamente a determinado lugar. Só quando chegar a esse lugar é que saberei que lugar é esse, pois me atrevi a seguir às escuras, aproveitando cada passo, até chegar aonde tenho que chegar. Por mais estranho que pareça, a vida é por si só um elemento de inteligência que sabe mesmo aonde nos levar. Basta que para isso aprendamos a ouvir, ler e confiar.

 
Estágio 01.

Emoções Fortes

"São as emoções fortes que nos fazem avançar. Seguir em frente. Que nos arrancam das nossas zonas de conforto para que possamos continuar a caminhar."

Estágio 02.

Atitudes que Desenvolvo

"É preciso mudar perspetivas a fundo. Às vezes precisamos de muletas para nos acompanharem nos primeiros passos destes novos caminhos, e está tudo bem. Usem-nas: formações que achem relevantes, amigos de coração, lugares onde se sintam fortes, disciplinas que ajudam a manter o foco. Tudo isto é fundamental na hora de se trabalhar novas formas de ser."

Estágio 03.

Encontro com a Essência

"É aqui que se começa a trabalhar em profundidade. É aqui o encontro real com todos os monstros que nos assustam dentro. Por isso tanta gente não consegue parar para se encontrar com a sua própria verdade."

Estágio 04.

 O que a essência me mostra

"Assim é a essência no seu melhor. Sempre nos mostra a vida como um bombom a ser apreciado com pompa e circunstância. Pedaço a pedaço. Como se fosse (e é) a melhor experiência a que tivemos acesso. E na simplicidade em que a vida se transforma, a complexidade passa a dar tempero aos dias. As dificuldades passam a ser alavancas para saltos maiores e o espetáculo começa."

Estágio 05.

Chegada a Casa

"É aqui que se dá a verdadeira consolidação de todo o trabalho anterior. É perfeitamente comparável ao momento de chegada a casa depois de uma longa, cansativa mas entusiasmante viagem pelo mundo. Neste caso, internamente"

Estágio 06.

Amor

"O amor é um sentimento que abre. Que liberta. Que cura. É um estar de tal forma amplo que irradia paz em si mesmo. Estar em amor, é caminhar por aí com uma leveza tal, que transcende todas as sensações mais densas."

Artigos do Blog

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social

© 2020 por Bárbara Leão de Carvalho. Orgulhosamente criado por TheGoodBrands.org

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now