top of page

#day146 – é preciso tempo para olhar para dentro

Ás vezes a falta de tempo, retira o último tempo que se tem. É preciso compreender que tempo gera-se. Reduz-se o que não importa para se dar espaço ao tempo.

Ás vezes o tempo incomoda. Quantas pessoas que conheço que se atrapalham quando têm tempo? Que ficam nervosas para aproveitar o tempo. Mas lá se vai o tempo e nada se aproveitou. E isto só acontece quando as pessoas não estão habituadas a ter tempo. Perdem o tempo para encher a vida de coisas. E depois não há tempo para usufruir das coisas que substituíram o tempo.

Ás vezes ter tempo para simplesmente não fazer nada pode representar a maior benção ou o maior pesadelo. Ora, se uma pessoa gosta da sua companhia e gerou um ambiente agradável a sua volta, quererá ter mais tempo para usufruir de tudo o que criou. Se por outro lado, a insatisfação com a vida é tal, “mais vale ir trabalhar” para não ter que ser confrontada com o presente da sua situação. Há muita gente que se refugia no trabalho e depois mente-se a si mesma queixando-se da falta de tempo. Mas a falta de tempo só existe pq se permite perpetuar uma situação que no fundo trás um conforto paradoxal.

No início é tão difícil olhar para dentro com tempo… Confrontar uma realidade tão própria e tão invulgar. Mas com o tempo, a criação de espaço gera mais tempo, e o tempo por fim floresce e acaba por se aproveitar a si mesmo em deleite.

O tempo adora ter tempo para si. E quando se encontra consigo mesmo, diz: “tanto tempo o tempo têm…” 😘

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page